NÍveis de isolamento tÉrmico de moradias, andares e outros edifÍcios

Há poucas coisas tão importantes para o conforto térmico das nossas casas e dos nossos locais de trabalho - e para baixos consumos de energia e em última análise para o ambiente - do que altos níveis de isolamento térmico das paredes externas, sótãos, tetos, pisos e janelas e portas dos nossos edifícios…

É pelo menos o que acontece nos climas frios. Mas será assim também no caso do Brasil ou de Portugal?

Brasil

Os telhados, os tetos de moradias e dos pisos superiores dos prédios e as janelas (e portas exteriores em contacto com os espaços habitados e os espaços de trabalho) são os pontos termicamente críticos em países de clima quente. E o Brasil está evidentemente nessa situação.

É de toda a vantagem que se instale altos níveis de isolamento térmico e refletivo a nível de telhados e tetos em contacto com os elementos (cerca de 3 vezes mais do que os níveis de isolamento das paredes externas referidos no parágrafo a seguir). E é também importante que as janelas e portas exteriores sejam termicamente protegidas, desenhadas e equipadas com vidros e esquadrias capazes de reduzir ao máximo os ganhos de calor.

A nível de paredes externas a situação é mais complexa. Em zonas com baixas amplitudes térmicas durante todo o ano, não há grande vantagem em instalar níveis significativos de isolamento térmico. Mas nas zonas onde as amplitudes ultrapassam, digamos, os dez graus centígrados, o isolamento térmico (da ordem dos 5 cm de painéis isolantes rígidos tipo poliestireno extrudido) torna-se claramente vantajoso.

Esse isolamento térmico das paredes podem reduzir significativamente os ganhos de calor durante o período quente do dia.

Já o mesmo não acontece a nível dos pisos das moradias e dos andares junto ao solo, nos prédios.

Uma vez que as temperaturas do solo são por norma mais baixas do que as temperaturas do ar ambiente, o contacto térmico do piso inferior do edifício com o solo é em geral benéfico. O isolamento térmico, ao impedir esse contacto, torna-se quase sempre desvantajoso.

Niveis de Isolamento ideal

Portugal

Tal como no Brasil, é de toda a vantagem altos níveis de isolamento térmico a nível dos telhados, tetos e janelas.

Os telhados e os tetos dos andares superiores dos prédios e moradias são fontes de calor indesejado em tempo quente, sem que tenham uma importância significativa em termos de ganhos de calor solar no período de inverno. Daí a vantagem de elevados níveis de isolamento térmico de sótãos e tetos (15 cm de painéis rígidos de alta densidade, ou algo equivalente), e questões como a cor clara dos telhados e elementos refletivos.

As janelas devem também devem ser objeto de criteriosa atenção. Elas são grandes fontes de perdas de calor no inverno, e de ganhos indesejados no verão. O tipo térmico de vidro, as esquadrias/caixilharia, e questões como a exposição solar e o sombreamento são críticas. Ver: Janelas eficientes

As paredes externas devem igualmente beneficiar de altos níveis de isolamento térmico (um R da ordem dos 2,5, ou seja, o equivalente a painéis de poliestireno com 75 mm de espessura), quer a nível das suas cavidades, quer a nível de reboco térmico, de modo a evitar transmissões de calor por via das vigas e outros elementos das paredes.

Mesmo os pisos junto ao solo podem e devem ser objeto de isolamento.

Mais pormenores:
Isolamento térmico de paredes
Isolamento térmico de pisos
Isolamento térmico de telhados
Isolamento térmico de sótãos
Isolamento térmico de andares
Isolamento térmico de moradias

 

 

Top or Home PageConteúdo relacionado
Contents Topo .... Início