Sensores de presenÇa E poupanÇa DE ELETRICIDADE EM EDIFÍCIOS

Escolas, edifícios de escritórios, lojas e outros edifícios e mesmo moradias e apartamentos podem beneficiar largamente com a tecnologia de gestão dos níveis de iluminação: sensores de movimento, células fotoelétricas, redutores de luz, interruptores de luz pré-programados…  

Os novos controladores de luz podem proporcionar poupanças energéticas espetaculares em muitos edifícios, ou exteriores de edifícios, para além de preencherem objetivos de segurança ou outros.

Eles tornaram-se comuns e são baratos, e por essas razões são por vezes menosprezados na sua importância. Mas eles são de facto um elemento estratégico sob o ponto de vista do consumo de eletricidade e sob o ponto de vista ambiental.

Infelizmente, há muitas situações em que os sistemas de iluminação continuam a ficar desnecessariamente ligados, por longos períodos. Algo que pode ser facilmente resolvido por via de sensores de presença e movimento.

Sensores de movimento e presença ligados aos sistemas de iluminação

Os novos sensores de movimento são hoje bastante fiáveis, se convenientemente escolhidos e instalados nos ângulos e lugares adequados. Cabe-lhes obviamente ligar e desligar as luzes em causa, tendo em conta a detecção ou não de movimentos e a correspondente presença ou ausência de pessoas ou veículos.

Os períodos de resposta à ausência de movimentos são pré-programados a nível do sensor, e podem variar de acordo com modelos e marcas.

Tipicamente, os sensores de movimento pertencem a três tipos: 1) ultrassónicos; 2) infravermelhos 3) mistos (ultrassónico-infravermelhos).

Os sensores ultrassónicos usam, como o próprio nome sugere, ondas sonoras, enquanto os sensores de infravermelhos respondem a variações de temperatura e a movimentos.

Tipo de sensores

Tal como noutros domínios, a tecnologia wireless (usando frequências de radio) também está presente a nível dos sensores de movimento aplicados a sistemas de iluminação. Algo que os torna muito fáceis de instalar, mas eventualmente menos fiáveis e duradouros numa perspetiva de longo prazo.

Os sensores de tecnologia mista (ultrassónicos-infravermelhos) são normalmente mais fiáveis, e os mais adequados para espaços relativamente grandes. Eles podem merecer a diferença de preço.

Não use sensores do tipo ultrassónico em espaços sujeitos a vibrações, onde são altamente suscetíveis de responder a presenças-fantasma.

Evite também sensores do tipo infravermelho em lugares com obstruções significativas. Há situações, equipamentos (aparelhos diversos) e localizações que podem interferir com o tipo e o funcionamento de sensores, o que deve ser tido em conta.

É, ao fim e ao cabo, uma das razões que pode justificar a utilização de interruptores pré-programados a nível dos sistemas de iluminação.

Interruptores de luz pré-programados

Os interruptores pré-programados podem ser usados em conjunto com sensores e outros controladores de sistemas de iluminação.

Contrariamente aos sensores de presença, estes interruptores ativam e desativam os sistemas elétricos a horas específicas, previamente programadas - embora algumas unidades tenham sistemas “inteligentes”, capazes de responder por exemplo, às variações e à extensão da luz do dia, adaptando os períodos de funcionamento dos sistemas de iluminação aos períodos noturnos. É um exemplo de uma funcionalidade possível.

 

 

Top or Home PageConteúdo relacionado
Contents Topo .... Início