Aparelhos de ar condicionado: eficiÊncia energÉtica, potÊncia e manutenÇÃo

Os aparelhos de ar condicionado variam imenso na sua eficiência energética. Aparelhos aparentemente muito semelhantes podem de facto ter consumos elétricos muito diferentes; os novos aparelhos podem gastar metade ou menos energia do que os sistemas de há alguns anos atrás.

Esta eficiência está obviamente ligada a avanços tecnológicos, e pode ser analisada nas etiquetas energéticas associadas aos aparelhos de AC.

Coeficientes energéticos do AC. Etiquetas energéticas

A eficiência energética dos aparelhos de ar condicionado é medida por coeficientes específicos:

- CEE (coeficiente de eficiência energética), no caso do Brasil
- SEER/EER, no caso da etiqueta da União Europeia e, portanto, de Portugal.
- SCOP/COP, no caso da etiqueta da UE, para medir a eficiência energética dos aparelhos de AC em termos de aquecimento.

Etiqueta energética dos aparelhos de ar condicionado da Daikin, um fabricante japonês Estes coeficientes determinam as classes a que pertencem os aparelhos:

Classes A+++, A++, A+, A, B, C, D, no caso português.
Classes A, B, C, D e E, no caso brasileiro (ver Governo Brasileiro, informação ao consumidor)

Elas são um critério importante de escolha, embora não sejam tão úteis quanto poderiam ser.

Por um lado, elas não explicitam a capacidade do aparelho a nível de extração da humidade – algo que é extremamente importante em climas húmidos, como acontece em muitas regiões do Brasil; o conforto térmico proporcionado por um aparelho de ar condicionado não se resume apenas à questão do frio por ele produzido; é algo que tem também bastante com a eficiência do aparelho em termos de desumidificação.

Acresce que os critérios presentes na classificação dos aparelhos é pouco exigente e – no caso europeu - não tem em conta fatores como as temperaturas externas e a eficiência relativa do aparelho em função dessas temperaturas.

Seja como for, há que ter em conta as etiquetas energéticas, e escolher aparelhos da classe A - bem como procurar outros elementos na ficha técnica do aparelho, relativos aos coeficientes citados acima (algo que, infelizmente, não é quase nunca explicitado nas características técnicas dos aparelhos de AC, a nível dos sites das grandes superfícies comerciais).

Outros elementos a ter em conta

Seja como for há que considerar outros elementos, aquando da compra e instalação de aparelhos de ar condicionado.

A eficácia térmica do ar condicionado depende também do seu tipo (split, multi-split, janela, portátil, central) e de um correto dimensionamento do sistema (em função do tamanho das áreas a climatizar e de fatores locais), para já não falar de questões relacionadas com a sua manutenção e instalação.

Ver: Tipos de ar condicionado.

Dimensionamento dos aparelhos de ar condicionado

A potência a considerar a nível da compra de um aparelho de AC depende bastante de fatores como sejam as características arquitetónicas do edifício ou das divisões onde o equipamento vai ser utilizado, dos seus níveis de isolamento térmico, do seu grau de sombreamento e ventilação, ou da eficiência energética e do tamanho das janelas.

É importante considerar melhorias a estes níveis, antes de comprar e instalar aparelhos de ar condicionado. Elas permitem reduções dramáticas das necessidades de climatização e, portanto, na potência e tipo de AC.

As tabelas usadas a nível da escolha do ar condicionado não consideram estes fatores; elas são por isso apenas uma referência muito genérica e aproximativa, válidas para edifícios pouco eficientes energeticamente.

Eis uma dessas tabelas, da ADENE:

Manutenção e instalação

Os aparelhos de ar condicionado são como os carros. Eles necessitam de manutenção regular, sob pena de os seus consumos subirem desproporcionadamente. Não são só os filtros que devem ser substituídos regularmente. Há questões de manutenção geral que há que respeitar. Considere, para o efeito, as recomendações dos fabricantes.

Do mesmo modo há que considerar cuidadosamente questões relacionadas com a instalação do aparelho. Questões como o comprimento das condutas e a localização das unidades externas e internas dos aparelhos de AC podem ser importantes. Os movimentos e a orientação dos fluxos de ar, ou questões como fugas de ar frio e perdas de distribuição (a nível dos sistemas centrais) são muito importantes e têm uma influência poderosa na eficácia do AC e nas poupanças energéticas.

Conjuntamente, estes fatores associados à eficiência energética do edifício podem ser tão ou mais importantes que as diferenças a nível dos coeficientes energéticos, determinadas por questões tecnológicas.

 

 

 

Top or Home PageConteúdo relacionado
Contents Topo .... Inicio